Doença da Vaca Louca

ObjetivosComo CombaterRaivaScrapie – Doença da Vaca Louca – LinksLegislação

Vaca Louca

A Encefalopatia Espongiforme Bovina, mais conhecida como Doença ou Mal da Vaca Louca, afeta o sistema nervoso dos bovinos, fazendo com que fiquem com o comportamento alterado. Daí o nome “Vaca Louca”.

É uma doença muito grave, não tem cura, é mortal e provoca grandes prejuízos para os produtores.

A Doença da Vaca Louca pode ser transmitida ao homem.

Transmissão

NOS ANIMAIS:

– Ocorre pela ingestão de farinhas de carne e ossos, tecidos nervosos, cama-de-aviário, dejetos de suínos ou qualquer outro tipo de alimento que contenha em sua composição proteínas de origem animal.

NO HOMEM:

– Ingestão de carne contaminada;
– Através da transfusão de sangue e seus derivados, provenientes de seres humanos contaminados.

Sinais e sintomas no animal:

– mudança de comportamento: isolamento, medo e agressividade;
– tremores musculares;
– dificuldade para andar;
– morte do animal em 100% dos casos.

Prejuízos

– morte dos animais;
– risco de transmissão ao homem;
– suspensão das exportações de carne do Brasil.

Você pode ajudar a manter nosso rebanho livre da Doença da Vaca Louca.

Não forneça aos ruminantes (bovinos, bubalinos, ovinos e caprinos) qualquer tipo de alimento que contenha proteína de origem animal, inclusive cama-de-aviário e os resíduos da exploração de suínos;
Caso você prepare ração, concentrados ou suplementos protéicos em sua propriedade, tenha certeza de que não esteja misturando alimentos de risco. Também cuide para manter estes alimentos devidamente controlados e separados, pois há o risco de haver contaminação no transporte, na armazenagem, na pesagem e no próprio cocho dos animais;
Se você notar um animal apresentando algum sinal de doença do sistema nervoso, como alterações do comportamento, dificuldades de locomoção, paralisia, andar cambaleante, entre outros, comunique à Agência IDARON.

Importante

É crime federal alimentar ruminantes (bovinos, bubalinos, ovinos e caprinos) com cama-de-aviário (também conhecida como cama-de-frango) ou com resíduos da exploração de outros animais, pois estes podem conter restos de ração resultando em risco se reaproveitados na alimentação do seu rebanho.

Produtor, no Brasil não existe a Doença da Vaca Louca. É dever de todos contribuir para que continue assim. Denuncie o uso de farinha de carne e ossos, cama-de-aviário e dejetos da exploração de suínos na alimentação de ruminantes.