Notícias

Controle de pragas no vazio sanitário. (90 dias para controle da ferrugem da soja no Estado de Rondônia)

15 junho 2018 - 15:42 Exibir em Modo de Impressão



O vazio sanitário da soja é o período, iniciando em 15 de abril seguindo até 15 de setembro, em que fica proibido o plantio. Em Rondônia, na última safra, a soja foi cultivada em 1221 propriedades rurais.

O vazio sanitário busca diminuir e controlar a ferrugem asiática, umas das principais pragas dessa lavoura, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, que ocasiona danos de até 90%. Além da proibição do cultivo, o produtor também deve eliminar todas as plantas voluntárias, conhecidas como tigueras, seja por meio mecânico ou químico. 

A gerente de defesa vegetal, Rachel Barbosa, afirma que “o vazio sanitário elimina a chance de dispersão da ferrugem pois não permite que haja soja tiguera no campo, anulando a ligação fungo/planta viva, necessária a sua sobrevivência e, como medida de controle cultural, reduz a pressão da doença para a próxima safra que tem uma previsão de 300mil hectares”.

Neste ano, a Agência IDARON também realizou monitoramento da ferrugem no período de plantio da safrinha. A ação tem como objetivo verificar a incidência e o nível de ocorrência da praga através de coleta de material a campo e análise em laboratório. “A preocupação é de alertar os produtores sobre a importância de respeitar o período do vazio sanitário como melhor medida de controle e reduzir o uso de produtos e químico”, reforça Rachel.

O Presidente da IDARON, Anselmo Abreu, lembra que é essencial que agricultores se planejem no que se refere ao manejo correto e a ações preventivas a fim de controlarem a praga e evitar perdas significativas que podem causar danos irreparáveis à produtividade da soja.

Caso os produtores não respeitem o período, podem ser multados. O não cumprimento do vazio sanitário pode acarretar em multa de R$ 1.304,20 a R$ 6.521,00 dependendo da situação.

A Idaron adverte que após o vazio sanitário, os produtores devem cadastrar as áreas produtoras de soja através do site da instituição (www.idaron.ro.gov.br) ou em uma unidade de atendimento.

DIDES/COTIC/IDARON




Voltar